.posts recentes

. A caminho da Final da Taç...

. A caminho de mais uma fin...

. RECORD NACIONAL!!!

. SUPERTAÇA TAMBÉM É NOSSA!...

. Tudo sobre os Caracóis!!!

. Começo da nova época à vi...

. Maria Madalena

. Júlia florista

. Foi na travessa da Palha

. Avé Maria Fadista

. A morte da Mouraria

. A moda das tranças pretas

. A casa da Mariquinhas

. Eu queria cantar-te um fa...

. Fado Malhoa

. O Embuçado

. São só milhões!!!!

. O papa-taças!!!!

. Arrumando a casa para 200...

. A limpeza continua!!!

.posts recentes

. A caminho da Final da Taç...

. A caminho de mais uma fin...

. RECORD NACIONAL!!!

. SUPERTAÇA TAMBÉM É NOSSA!...

. Tudo sobre os Caracóis!!!

. Começo da nova época à vi...

. Maria Madalena

. Júlia florista

. Foi na travessa da Palha

. Avé Maria Fadista

. A morte da Mouraria

. A moda das tranças pretas

. A casa da Mariquinhas

. Eu queria cantar-te um fa...

. Fado Malhoa

. O Embuçado

. São só milhões!!!!

. O papa-taças!!!!

. Arrumando a casa para 200...

. A limpeza continua!!!

.arquivos

. Janeiro 2008

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

.tags

. todas as tags

Domingo, 24 de Junho de 2007

A casa da Mariquinhas

A Casa da Mariquinhas

É numa rua bizarra
A casa da Mariquinhas
Tem na sala uma guitarra
E janelas com tabuinhas

Vive com muitas amigas
Aquela de quem vos falo
E não há maior regalo
Que a vida de raparigas
É doida pelas cantigas
Como no campo a cigarra
Se canta o fado à guitarra
De comovida até chora
A casa alegre onde mora
É numa rua bizarra

Para se tornar notada
Usa coisas esquesitas
Muitas rendas, muitas fitas
Lenços de cor variada.
Pretendida, desejada
Altiva como as rainhas
Ri das muitas, coitadinhas
Que a censuram rudemente
Por verem cheia de gente
A casa da Mariquinhas

É de aparência singela
Mas muito mal mobilada
E no fundo não vale nada
O tudo da casa dela
No vão de cada janela
Sobre coluna, uma jarra
Colchas de chita com barra
Quadros de gosto magano
Em vez de ter um piano
Tem na sala uma guitarra

P'ra guardar o parco espólio
Um cofre forte comprou
E como o gaz acabou
Ilumina-se a petróleo.
Limpa as mobílias com óleo
De amêndoa doce e mesquinhas
Passam defronte as vizinhas
P'ra ver o que lá se passa
Mas ela tem por pirraça
Janelas com tabuinhas

Letra: Silva Tavares
Música: Alfredo Duarte (Marceneiro)

tags:
publicado por meninolopes às 18:08
link do post | favorito
Comentar:
De
( )Anónimo- apenas as pessoas que pertencem à lista de amigos de meninolopes podem deixar comentários.
Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 


.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Janeiro 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.tags

. todas as tags

.favorito

. A caminho de mais uma fin...

. A caminho da Final da Taç...

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds